We Are The Champions

Campeões somos

Paguei minhas dívidas

Vez após vez

Cumpri a sentença

Sem crime cometer

 

E grandes erros

Cometi alguns

Eu tive areia

Jogada na cara

Mas eu transpus

E queremos mais e mais e mais e mais

 

Campeões somos, nós sim

E lutaremos

Até o fim

Campeões somos

Campeões somos

Fora perdedores

Pois campeões somos, vencedores

 

Fiz reverência

Tive sucesso

Vocês trouxeram fama, fortuna

E tudo que vem com isso

Eu agradeço

 

Mas não foi um mar de rosas

Nenhum mergulho

Considero um desafio

Perante a humanidade

E não perderei nunca

E queremos mais e mais e mais e mais

 

Campeões somos, nós sim

E lutaremos

Até o fim

Campeões somos

Campeões somos

Fora perdedores

Pois campeões somos, vencedores

 

Campeões somos, nós sim

E lutaremos

Até o fim

Campeões somos

Campeões somos

Fora perdedores

Pois campeões somos, vencedores

 

[Letra original — Queen]

I’ve paid my dues

Time after time

I’ve done my sentence

But committed no crime

 

And bad mistakes

I’ve made a few

I’ve had my share of sand

Kicked in my face

But I’ve come through

And we mean to go on and on and on and on

 

We are the champions, my friends

And we’ll keep on fighting

‘Till the end

We are the champions

We are the champions

No time for losers

‘Cause we are the champions of the world

 

I’ve taken my bows

And my curtain calls

You brought me fame and fortune

And everything that goes with it

I thank you all

 

But it’s been no bed of roses

No pleasure cruise

I consider it a challenge before

The whole human race

And I ain’t gonna lose

And we mean to go on and on and on and on

 

We are the champions, my friends

And we’ll keep on fighting

‘Till the end

We are the champions

We are the champions

No time for losers

‘Cause we are the champions of the world

 

We are the champions, my friends

And we’ll keep on fighting

‘Till the end

We are the champions

We are the champions

No time for losers

‘Cause we are the champions of the world

Anúncios

Remembrance Of Christmas Past

Feliz Natal!!!

Lembrança Do Natal Passado

As crianças largando da escola cedo.

Compras de Natal ficam para tarde.

Nós vamos passear durante todo o feriado,

E ficamos na fila a semana inteira por

Filmes da Disney,

Embrulhos nas Americanas,

E toaletes de todos.

 

Véspera de Natal vamos lá nós montar

Aquele monta-fácil telescópio

E o caminhão vermelho de mais de quarenta peças.

Meia noite perdemos a esperança sem

Um astrônomo,

Um engenheiro mecânico,

E dois psiquiatras.

 

De madrugada foi a família acordada,

Trôpega, por crianças a cantar.

O gato vomitando lentejoula no tapete.

O caminhão vermelho bateu, necessitando

 

Limpador de tapete,

Diversos Band-aids,

E Uísque antes do café.

 

As camisas que dei — errei em porte, em cor,

Meu marido não vai usar nem morto.

Eu sugerira Dior a ele ou algo de pele.

Ganhei para dormir roupão flanela, também

Uma frigideira de Teflon,

Uma bolsa xadrez,

E O Livro de Receitas dos Vigilantes do Peso.

 

O peru congelado ainda às onze horas

Meio-dia o mais velho entorna cola Pritt.

Às cinco cresce a dor de cabeça de Neosaldina,

Tipo que dura até dois de Janeiro…mas

Feliz Natal

E Próspero Ano-Novo,

Eu acho.

 

[Poema original — Judith Viorst]

They let the children out of school too early.

I left the Christmas shopping till too late.

Each day we had a holiday excursion,

Which gave us the entire week to wait in line for

Movies by Disney,

Gift-wrapping by Lord & Taylor,

And everyone’s restrooms.

 

On Christmas Eve we started to assemble

The easy-to-assemble telescope

And fire truck with forty-seven pieces.

By midnight it was plain there was no hope without

An astronomer,

A mechanical engineer,

And two psychiatrists.

 

We rose at dawn to three boys singing Rudolph.

We listened numbly to their shouts of glee.

The kitten threw up tinsel on the carpet.

The fire truck collided with the tree, requiring

 

One rug shampoo,

Several Band-aids,

And Scotch before breakfast.

 

I bought my husband shirts — wrong size, wrong colors,

And ties he said he couldn’t be caught dead in.

I’d hinted Saint Laurent or something furry.

He bought me flannel gowns to go to bed in, also

A Teflon frying pan,

A plaid valise,

And The Weight Watchers Cook Book.

 

The turkey was still frozen at eleven.

At noon my eldest boy spilled Elmer’s glue.

At five I had a swell Excedrin headache,

The kind that lasts till January two…but

Merry Christmas

And Happy New Year,

I think.

to look at people

to look at people - capa livro Marcela

olhar pessoas

para Pina Coco

Olhar pessoas me faz chorar

Só por sorrir e andar

Com jeito entro em suas vidas

Cheias de verdades e mentiras

Adoro seus jogos e intrigas

Imagino para onde estão indo

Se ainda sonham, eu questiono

Sabem de fato o que é

Ter um sonho?

 

[Poema original — Marcela Sperandio]

to Pina Coco

To look at people makes me cry

The way they walk and smile

I gently entry into their lives

So full of truths and lies

I love their moves and ties

I wonder where they go

If they still dream, I think about

Do they really know what it means

To have a dream?

 

Obs.: a tradução do poema “to look at people” foi publicada no livro “Outra que não eu”, de Marcela Sperandio, na coleção Ruído da editora Raiz, em 08/11/2018: https://www.travessa.com.br/outra-que-nao-eu/artigo/e9152ca1-4f5b-4d5a-adef-7c82a7fe17c9.

Do not Weep

Do not weep

Não chores sobre meu túmulo,

Não estou ali; Eu não durmo.

Sou os mil ventos em sopro,

Sou diamante brilhoso,

Sou o sol do plantio bom,

Sou chuva gentil de outono.

Ao despertar no silêncio

Sou corte para a urgência

De aves no ar a girar.

Sou brando brilho estelar.

Sem choro sobre meu túmulo,

Não estou ali; Não morri.

 

[Poema original — Mary Elizabeth Frye]

Do not stand at my grave and weep,

I am not there; I do not sleep.

I am a thousand winds that blow,

I am the diamond glints on snow,

I am the sun on ripened grain,

I am the gentle autumn rain.

When you awaken in the morning’s hush

I am the swift uplifting rush

Of quiet birds in circling flight.

I am the soft star-shine at night.

Do not stand at my grave and cry,

I am not there; I did not die.

Prefácio a Shakespeare

Prefácio a Shakespeare - capa - versão final

Trecho do livro Prefácio a Shakespeare:

Shakespeare é, acima de todos os escritores, ao menos acima de todos os escritores modernos, o poeta da natureza; o poeta que segura diante de seus leitores um espelho fiel de maneiras e de vida. Suas per­sonagens não são modificadas pelos costumes de lugares específicos, não praticados pelo restante do mundo; pelas peculiaridades de estudos ou profissões, os quais não podem operar senão sobre números pequenos; ou pelos acidentes de modas transitórias ou opiniões temporárias: elas são a prole genuína da humanidade comum; prole que o mundo sem­pre fornecerá, e a observação sempre encontrará. Suas pessoas agem e falam pela influência daquelas paixões e princípios gerais por que todas as mentes se inquietam, e o sistema inteiro da vida mantém-se em movi­mento. Nos escritos de outros poetas uma personagem é com frequência exagerada um indivíduo; naqueles de Shakespeare, ela é comumente uma espécie.

 

[Texto original — Samuel Johnson]

Shakespeare is above all writers, at least above all modern writers, the poet of nature; the poet that holds up to his readers a faithful mirrour of manners and of life. His characters are not modified by the customs of particular places, unpractised by the rest of the world; by the peculiarities of studies or professions, which can operate but upon small numbers; or by the accidents of transient fashions or temporary opinions: they are the genuine progeny of common humanity, such as the world will always supply, and observation will always find. His persons act and speak by the influence of those general passions and principles by which all minds are agitated, and the whole system of life is continued in motion. In the writings of other poets a character is too often an individual; in those of Shakespeare it is commonly a species.

 

Obs.: a tradução do livro Prefácio a Shakespeare foi publicada em 11/05/2018: https://www.amazon.com/Prefacio-Shakespeare-Portuguese-Samuel-Johnson/dp/8554956028.

Should I Stay or Should I Go

Se Eu Fico ou Se Eu Vou

Garota, diga por favor

Se eu fico ou se eu vou

Se for minha realmente

Aí eu fico aqui pra sempre

Então me diga por favor

Se eu fico ou se eu vou

 

Você não diz, diz, diz

Eu de joelhos, você feliz

Um dia é bom, o outro é trevas

Então se quer que eu saia dessa

Vá, me diga por favor

Se eu fico ou se eu vou

 

Se eu fico ou se eu vou já

Se eu fico ou se eu vou já

Se eu for, fechou o tempo

Se eu fico é só lamento

Então me diga por favor

Se eu fico ou se eu vou

 

Indecisão que me irrita

Se não me quer, deixe que eu siga

O que que quer da minha vida

Não sabe nem minha medida?

Me diga por favor

Se esfriou ou esquentou

 

[Letra original — The Clash]

Darling you got to let me know

Should I stay or should I go?

If you say that you are mine

I’ll be here ‘til the end of time

So you got to let me know

Should I stay or should I go?

 

It’s always tease, tease, tease

You’re happy when I’m on my knees

One day it’s fine and next it’s black

So if you want me off your back

Well, come on and let me know

Should I stay or should I go?

 

Should I stay or should I go now?

Should I stay or should I go now?

If I go, there will be trouble

And if I stay it will be double

So come on and let me know

 

This indecision’s bugging me

If you don’t want me, set me free

Exactly whom I’m supposed to be

Don’t you know which clothes even fit me?

Come on and let me know

Should I cool it or should I blow?